Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Saidinha da casca

O blog pessoal de uma aprendiz da vida. Espaço de partilha de devaneios, teorias sensacionalistas, gostos, ideias, curiosidades e opiniões pertinentes sobre tudo, nada e mais um pouco.

Saidinha da casca

O blog pessoal de uma aprendiz da vida. Espaço de partilha de devaneios, teorias sensacionalistas, gostos, ideias, curiosidades e opiniões pertinentes sobre tudo, nada e mais um pouco.

Um candidato com muito Tino

Só ontem tive oportunidade de acabar de ver o debate televisivo com os candidatos presidenciais. O pouco que tinha visto em directo não me gracejou com a participação do Tino. Eu vivo muito perto de Penafiel, o concelho que alberga a freguesia de Rans na qual este singular português se estreou na politiquice. Dada tão pouca quilometragem entre nós sei muito bem quem é esta figura. É o político que está habituado a conviver com (pseudo) celebridades, já aprendeu muito com as mesmas. Já participou na Quinta das celebridades (quando esta ainda era decente e com probabilidades quase nulas de ao fim de um dia sair de lá com uma DST) e no Big Brother e é por isso que sempre que volta à televisão dá show. Veja-se o que se passou no debate, Tino foi o candidato mais aplaudido.

Para ele há muita abstenção porque os emigrantes portugueses que "tiveram de basar"não têm acesso ao voto. O jornalista ainda pergunta se não será porque há quem "viva longe da realidade política" mas os quilómetros para o Tino não são nada, ele foi até o povo, até nos confins do mundo ele será presidente de todos os portugueses, incluindo emigrantes. Agora será que o Tino com a sua política cativa quem cá está mas em matéria de eleições tanto faz com se fez. O problema é não haver quem atenda o telefone, o candidato não está na vanguarda da tecnologia, se não saberia que já dá para deixar mensagens em voicemail para ouvir em alturas mais convenientes. Com toda a razão o Tino acha que está a ser discriminado, numa metáfora futebolística diz estar a jogar em "campo pelado", (mesmo), é que ninguém lhe passava a bola. Ele não precisava de muito tempo porque não estava lá para fazer "intrigalhadas" como todos os outros. O Tino é que sabe o que é política, não é cá andar às turras uns com os outros, é tentar fazer o que se acredita ser melhor para Portugal. Enquanto os restantes candidatos se picavam ele não estava nem aí e fazia os seus bonequinhos, porque ele não é só na arte de governar que tem talento. Depois de uma prestação brilhante em que ganhou o voto de muitos portugueses com certeza também mostra os seus talentos de conquistador implacável. Numa arrojada manobra e elogios a Marisa Matias agora tratam-se por "tu". É disto que o país precisa, um homem activo em todas as frentes.

 

 

 

E desde o início apostava eu que ele não ficaria em último e as sondagem realizadas hoje comprovam as minhas predições.

 

 

1027190.jpg

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.